Doença do enrolamento da videira

Classe: Vírus
Nome comum: Doença do enrolamento da videira
Possível Anfitrião:

Grapes

Quem sou eu?

Grapevine leafroll disease is actually a group of viruses found throughout the world. The disease is transmitted by the grapevine mealybug called planococcus ficus. Approximately one hour of feeding upon infected vines is enough for mealybugs to contract the virus.

Mealybugs lose the ability to infect new vines with grapevine leafroll disease after four days of contracting it. The virus does not transfer from the adult female to her offspring.

The movement of mealybugs in the vineyard is partially independent and partially passive (with the aid of ants), which could explain some of the spreading patterns. The virus tends to first spread from one infected vine to another vine in the same row. The introduction of the disease to different adjacent rows takes place later on. Introduction of the disease in healthy, virus-free vineyards is caused by the mealybug vector.

Vines infected with the disease exhibit a reduction in the quantity and quality of fruit that comes from an overall decrease in the contents and accumulation rates of sugars. Generally speaking, wine grape varieties are found to be less tolerant to the effects of the disease; therefore, wine grape varieties suffer significant yield losses.

The symptoms vary in red and white varieties. In red varieties, it is common to see interveinal reddening of the leaves, a state when leaves become red though the veins remain green. In white varieties, the symptoms are fewer and less defined such that it may include mild chlorosis and curling of leaf edges. In some cases, symptoms aren’t clear enough.

Quick tip: It is easy to confuse symptoms of the virus with those of magnesium deficiency. There is no treatment for the virus; therefore, it is not possible to cure a diseased vine.

Medidas de controle

Não existe qualquer tratamento para vírus. As plantas infetadas não podem ser curadas; assim, o foco deve ser na prevenção de surtos de vírus. Se apenas algumas plantas estiverem infetadas, as plantas devem ser removidas do campo.

Use técnicas de monitorização de pragas (tais como armadilhas) para rastrear populações de insetos.

Os produtos utilizados numa ou mais partes do mundo podem conter os seguintes ingredientes:

sulfoxaflor, espirotetramato, buprofezina, extrato de chenopodium, clorpirifos, imidaclopride, timetoxame, acetamipride e tioclopride.

óleo de nim, óleo de árvore de chá, óleo mineral e detergentes (sabão industrial) projetado especialmente para uso agrícola.

Deve-se ter cuidado e atenção ao usar quaisquer produtos fitofarmacêuticos (inseticidas, fungicidas e herbicidas). É responsabilidade exclusiva do produtor acompanhar os usos e permissões legais em relação às leis em seu país e mercados de destino. Leia sempre as instruções escritas nos rótulos e, em caso de contradição, trabalhe de acordo com o rótulo do produto. Tenha em mente que as informações escritas no rótulo geralmente se aplicam aos mercados locais. Os produtos de controle de pragas destinados à agricultura orgânica são geralmente considerados menos eficazes em comparação com os produtos convencionais. Ao lidar com produtos orgânicos, biológicos e, até certo ponto, com um pequeno número de produtos químicos convencionais, a erradicação completa de uma praga ou doença muitas vezes exigirá várias iterações de um tratamento específico ou combinação de tratamentos.

Galeria de imagens

blank
blank